Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]





8 de Março

por Carolina, em 08.03.15

Somos programadas para festejar o dia da Mulher. Porque nos dizem que é um dia importante. Porque nos devemos sentir especiais. Porque devemos pintar este dia de cor-de-rosa, como se o Mundo fosse um lugar perfeito para nós. Não é, e está muito longe de o ser. As Mulheres não precisam de um dia especial para comprar flores, para ir almoçar fora ou para fingir que vivemos num mundo de igualdades.

É triste como este é um dia em que fingimos ser bem tratadas. Nos outros todos, podemos voltar à realidade. À realidade de dezenas de mulheres mortas às mãos dos maridos. Milhares de mulheres que vivem sem direitos. Milhares de mulheres que são tratadas como objectos. Milhares de mulheres que não passam da propriedade de alguém.

Mas não vamos falar destas coisas. Não vamos estragar um dia tão bonito. Vamos fechar os olhos, só hoje, e dar os parabéns umas às outras. Vamos fingir que está tudo bem. Vamos fingir que somos felizes. Vamos.

Autoria e outros dados (tags, etc)


6 comentários

Sem imagem de perfil

De Carlos a 08.03.2015 às 18:22

Como homem felizmente ainda nunca tive conhecimento de casos de desigualdades dessas no nosso país, excepto com alguns casos de mulheres grávidas. Acho que a esmagadora maioria das pessoas sabe dar o valor a quem o merece independentemente do sexo e em certos "empregos de homem" as mulheres são vistas com muito respeito e admiração. O facto de muitos cargos importantes serem quase exclusivamente ocupados por homens também vem do facto de certas áreas não agradarem tanto às mulheres como aos homens. A área das tecnologias é o exemplo mais evidente disso e sabemos que vai empregar muita gente nas próximas décadas, talvez 20% da força de trabalho seja feminina, se tanto.
É verdade que muitas mulheres morrem às mãos dos maridos, e se deixam os agressores à solta mas o mesmo acontece com os pedófilos e o resto dos criminosos perigosos.A justiça só serve para mandar esses gajos cá para fora.
Outra desigualdade cruel que existe são as disputas de custódia das crianças, a única maneira de o pai ganhar é ser um cidadão exemplar e a mãe ou ser alcoólica,toxicodependente ou bater nos filhos, tirando esses casos o homem é descartado como se não tivesse tanto direito a ser pai como a mãe a ser mãe.
No entanto, em termos gerais na europa estamos muito bem em matéria de igualdade de direitos para homens e mulheres, noutros continentes a conversa já é outra.
Imagem de perfil

De Carolina a 08.03.2015 às 19:41

Carlos, para além de este ser o Dia Internacional da Mulher, a mim não me preocupa só o que acontece em Portugal ou na Europa. Não posso fechar os olhos ao que acontece noutros países só porque no meu não acontece (apesar de eu não concordar, porque em Portugal também acontece, não venhamos com falinhas mansas!).
Relativamente ao "interesse" das mulheres por certas áreas... Cada vez mais a mulher tem capacidade, necessidade e interesse por áreas mais diversas. A questão é que não é tão bem aceite por mentalidades conservadoras, que não estão habituadas a ver uma mulher em determinados cargos considerados de/para homens.
Relativamente à justiça, já todos sabemos que é uma bela bosta e que isso não vai mudar, mas é preferível lutarmos por isso do que deixarmos andar. Na questão das custódias, se os pais puserem os interesses das crianças à frente dos seus e não as usarem como armas para se atingirem um ao outro, de certeza que as custódias e visitas são feitas de forma unanime e que beneficie as crianças. Se isso significa a custódia ser da mãe, porque tem um horário mais disponível para levá-los à escola, tratar do comer e manter uma rotina, então claro que é mais benéfico para as crianças ficarem com a mãe. Mas o oposto também se aplica. O problema é que, muitas vezes, os pais nunca chegam a acordo porque preferem atacar-se um ao outro e usar as crianças como forma de "castigo" pelo relacionamento ter corrido mal.
Não concordo com a última parte... A Europa ainda está muuuito longe de ter direitos iguais entre géneros. Basta-nos olhar para o caso da Turquia, que ainda está muito longe de respeitar o papel da mulher. Na Holanda, Suécia, Finlândia, Dinamarca e Reino Unido, os números de violência sobre as mulheres (tanto física como sexual) são muito mais elevados que os nossos. Isso não é assustador? Preocupante? Revoltante? A Europa e o resto do mundo ainda têm muito que caminhar para a igualdade de géneros e para a aceitação da mulher na sociedade.
Sem imagem de perfil

De Carlos a 08.03.2015 às 20:27

Concordo. A Turquia nunca vai ter igualdade de género porque a religião não o permite, por alguma razão as candidaturas para a se integrarem na união europeia não foram aceites. É muito difícil mudar um regime de terror muitas vezes instaurado ao nível familiar e certamente não podem ser os estrangeiros a mudar isso muito menos quando grande parte dos governos desses países têm uma posição muito clara em relação ao que consideram serem os direitos das mulheres e não recebem nenhum tipo de pressão por parte dos governos dos países ocidentais.

Imagem de perfil

De Ana a 08.03.2015 às 21:31

Para mim este tipo de dias não fazem sentido nenhum. Se não fosse falado na tv e o facebook não estivesse cheio de publicações alusivas ao dia da mulher, passava-me completamente ao lado. É coisa que para mim não tem lógica. Isso e o dia dos namorados. Estão no mesmo pé de igualdade.
Sem imagem de perfil

De Cris a 09.03.2015 às 11:33

Até se pode fingir, mas a verdade vem sempre à tona...
Imagem de perfil

De sacha hart a 09.03.2015 às 15:30

Sinto o mesmo em relação ao Dia da Mulher e partilho a mesma opinião que o teu ponto de vista!

Comentar post






Arquivo


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




blogging.pt