Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Já não gosto de ir ao cinema

por Carolina, em 29.06.15

Ontem infelizmente lembrei-me do porquê de já não gostar de ir ao cinema. Decidi ir ver o Mundo Jurássico, porque acho que é um daqueles filmes que merece ser visto no grande ecrã (e está brutal!), mas rapidamente me lembrei porque é que já não punha os pés num cinema há tanto tempo. O principal problema? As pessoas que não respeitam os outros. Se vivêssemos num mundo perfeito, havia uma sala de cinema só para mim, para poder desfrutar de um filme sem estar alguém constantemente a incomodar.
O que mais me irrita são os telemóveis. Eu percebo, deve ser mesmo muito difícil estar desligado das redes sociais durante duas horas. Ontem cheguei mesmo a ver gente com tablets, no meio do filme, a ver o feed do facebook. Se a luz dos telemóveis já incomoda para caraças, imaginem a dos tablets. Contudo, desengane-se quem acha que o único problema das tecnologias é a luz... Não! Em pleno momento de suspense, há alguma alminha que decide pôr-se a ver um vídeo com som. É altura para perguntar que tipo de pessoa paga quase 7€ para fazer uma coisa que pode muito bem fazer sentadita no seu sofá. Então e aqueles que chegam atrasados e andam à procura dos lugares? Que sobem e descem, viram à esquerda e à direita e mesmo assim não fazem a mínima ideia de onde é a fila. E os que passam o filme todo na conversa? A tirar selfies com flash? A comer pipocas de boca aberta? É por estas e por outras que prefiro ver um filme sentadinha no meu sofá, com os gatos em cima, e sem ninguém constantemente a incomodar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Cinema | Exodus: Gods and Kings

por Carolina, em 11.03.15

Este era um daqueles filmes que tinha tudo para dar certo. Um realizador excelente, uma história épica e actores que sabem o que fazem. Contudo, não esteve à altura das minhas expectativas.

A melhor parte deste filme foi, sem dúvida, a visual. Uma mega-produção com imponência, que nos deixa de boca aberta do princípio ao fim, com efeitos especiais muito bem conseguidos, não estivéssemos nós a falar de Ridley Scott.

A história peca. Sendo uma que já todos conhecemos de trás para a frente, a de Moisés contra Ramsés, e acabou por ficar muito aquém daquilo que esperava. Tudo a correr, sem qualquer ligação emocional com as personagens e entre elas. O filme é praticamente um resumo de uma história muito mais longa (talvez por isso o realizador tenha criado também uma versão do mesmo filme com mais noventa minutos).

Ainda assim, e porque os efeitos visuais me conquistaram, consegui gostar do filme. Esperava muito mais, isso é verdade, mas acaba por ser um filme que merece ser visto, nem que seja só pelos cenários e efeitos especiais que são de ver e chorar por mais.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Sei que não devemos julgar um livro pela sua capa, nem pela sinopse, nem pelas críticas dos outros. Devemos lê-lo e tirar as nossas próprias conclusões. Tentei-o duas vezes e não passei das 20 páginas. Para além de a escrita ser má, não consigo ler livros com personagens femininas fracas que caem em demasiados clichés. Para além disso, e provavelmente um facto que muita gente não sabe, esta série (pelo menos o primeiro livro) surgiu de uma fanfiction sobre a Bella e o Edward (sim, personagens do Crepúsculo). Agora quando forem ver o filme, imaginem as cenas com um vampiro que brilha e uma miúda sempre com a mesma expressão. Agradeçam-me depois.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Em Parte Incerta | Filme

por Carolina, em 14.10.14

Pois é, fui ver o Gone Girl ao cinema. Já tinha demonstrado a minha vontade de o fazer aqui no blog, entretanto lá tive oportunidade e fui. Gostei tanto do filme que estou a ponderar agarrar no livro outra vez e dar-lhe uma segunda oportunidade. Como eu não sou pessoa que goste de arruinar as experiências dos outros no que toca a livros ou filmes, não me vou por aqui a escrever spoilers e mais spoilers. Posso, no entanto, dizer-vos que fiquei muito surpreendida com o filme. Não sei até que ponto foi bem adaptado, uma vez que não li o livro até ao fim, mas das partes que li, posso dizer-vos que foi tudo como imaginava. Uma história que nos prende, que nos deixa a resmungar quando chega o intervalo, que nos faz magicar o que é que, afinal, aquilo tudo significa. Uma reviravolta que nos deixa a pedinchar por mais uma horinha de filme.

Adorei o papel do Ben Affleck, gosto muito dele, e continua a surpreender-me a cada filme que passa. A Rosamund Pike foi, sem dúvida, a mais-valia deste filme. Não estava nada à espera que ela interpretasse a personagem da Amy tão bem, fiquei mesmo impressionada (não costumo seguir o trabalho dela).

Posto isto, se puderem ir vê-lo enquanto ainda está em cartaz, vão. Este é um daqueles filmes que merece ser visto no grande ecrã.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

A cultura em Portugal

por Carolina, em 05.10.14

A última vez que fui ao cinema terá sido algures no Verão, provavelmente para ver A Culpa É das Estrelas. Gosto de ir ao cinema. Aliás, adoro! Se pudesse, ia todas as semanas (ou fins-de-semana). Quero ver se vou ver o Em Parte Incerta, adaptado do livro com o mesmo nome que, como falei aqui, não acabei de ler. Infelizmente a cultura em Portugal continua a pagar-se a peso de ouro. Seja música, livros, teatro, cinema, museus, qualquer coisa. Depois ficamos admirados e vamos dizer para a televisão que as pessoas cada vez menos têm tendência a visitar estes sítios. Nem um ministério dedicado à cultura temos.

Tenho pena! Gostava de ao fim-de-semana poder ir a um museu, visitar uma exposição, ir assistir a uma peça de teatro... sei lá, qualquer uma destas coisas, mas cada vez se torna mais difícil. 

Autoria e outros dados (tags, etc)





Arquivo


Pesquisar

  Pesquisar no Blog




blogging.pt